Colecção Diários Gráficos

Esta colecção nasce do convite feito a diferentes autores para exporem os seus diários gráficos, sejam eles mais intimistas ou sejam cadernos de notas para projectos em desenvolvimento. A partir desses primeiros diários já existentes selecionaram-se em conjunto com os autores algumas páginas, fragmentaram-se e compuseram-se com elas ideias soltas, esboços, representações e construções identitárias e pessoais com as quais estabelecemos relação, encontramo-nos, em textos, desenhos, marcas, apropriações, de registo reflexivo. A selecção feita procura criar um novo diário que traduza um corpo diverso e que ainda assim pertença ao mesmo, neles se traçam e inscrevem momentos, neles se revela que tudo está sempre em readaptação e redefinição, apropriando, contruindo e desconstruindo matérias e conceitos percepcionados a partir do existente e do que imaginamos.

Edições disponíveis:

 

A autora tem desenvolvido vários trabalhos em contexto diarístico usando técnicas como o desenho, a escrita, os recortes e colagens, a serigrafia, e uma panóplia de imagens que encontra e desencontra numa expressão singular de ritmos, de linhas, de cor e de manchas. A convite do atelier 3|3 apresentou em 2016 uma exposição com cerca de 32 dos seus diários gráficos, permitindo abrir e folhear pensamentos e ideias foi feita uma selecção de páginas desses diários que deu lugar a 33 zines intervencionados a lápis de cor pela autora em algumas das suas páginas.

 

 

A partir de uma expressão em tom autobiográfico a autora vai desmontando momentos do quotidiano e emoções em desenhos, ilustrações e colagens, como se fossem pequenas narrativas e curiosidades que se soltam do pensamento, sobretudo reflexões relativas ao tempo e à espera, mas também ao que se perde pelo caminho. Porque se tratam de memórias das memórias temos uma montagem com páginas a cores e outras a preto e branco, porque há memórias que parecem sonhos e memórias que gostávamos que fossem diferentes.

 

O que é a casa? Onde está? Está lá fora? Está dentro? Está em outra pessoa? É um lugar? É uma coisa? Sou eu? Este zine é baseado em vários diários gráficos de Tribambuka, onde ela explora o tema de muitos ângulos diferentes e representa um pequeno estágio de uma exploração ao longo da vida do conceito …

O que é casa para si é o desafio que nos lança para pensarmos, em diferentes perspectivas.

Posted in Edições 3|3 and tagged , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *